quarta-feira, 17 de abril de 2013

CGU terá ponto eletrônico sem o PIST

Na última quarta-feira, a diretoria da ANAFIC se encontrou com o  Secretário-Executivo Carlos Higino para tratar de ponto eletrônico. O objetivo da reunião foi esclarecer os diversos boatos sobre a implementação do ponto, como será sua implantação e garantir a participação da ANAFIC no processo de elaboração.

O Secretário recebeu os diretores com muita cordialidade e prontificou-se a responder às diversas perguntas da Anafic. Inicialmente foi questionado a respeito da intenção de implantar o ponto eletrônico nos moldes diferentes dos já discutidos com os servidores (PIST - Programa Individual Semanal de Trabalho). 

Segundo Higino, será implementado em maio um sistema piloto na DGI, utilizando sistema desenvolvido pela UFRN, que já foi comprado e que está em fase final de customização. Depois que o piloto for realizado, uma portaria que regulamentará o horário deve ser elaborada para implantação no órgão como um todo. O Secretário-Executivo se comprometeu a apresentar a regulamentação e o sistema para as entidades antes da entrada em vigor.

Sobre a portaria, o SE reafirmou que a intenção é de manter o menos invasivo e rígido possível, respeitando os limites legais. Sendo assim, o ponto seria registrado via sistema no computador do servidor e o horário do órgão estendido entre 07:00h e 21:00h. Seguindo as normas do MPOG, a jornada será de 40 horas semanais de presença no órgão de lotação, mas o SE se mostrou favorável ao home office para os trabalhos que possam ser quantificados, mas isto dependeria de outra norma.

O SE afirmou que também está em estudo a forma de resolver questões como flutuações positivas e negativas na jornada de trabalho. A ANAFIC se prontificou a enviar algumas IN e portarias de outros órgãos do executivo para embasar a decisão, o que foi feito imediatamente após o encerramento da reunião. Tais normas tratam de banco de horas, horário corrido e home office, já em uso em outros órgãos federais.

Por fim, em um cenário de 8 horas, os diretores questionaram o tempo necessário para deslocamento do estacionamento até o prédio, ligar computador etc., já que o ponto seria via sistema informatizado. Higino informou que o sistema foi trabalhado para ser bastante flexível e que permitiria o lançamento de compensações como as que já ocorrem atualmente na SFC, para se adequar a realidade de cada unidade.

A flexibilização de jornada de trabalho vem sendo discutida no âmbito da CGU há anos, e culminou em minutas de portarias com condições aceitas pelos associados, que incluíam banco de horas positivo e negativo, compensação maior em fins de semana, possibilidade de jornada corrida e home office. 

Assim, a Anafic não aceitará um sistema de controle de ponto que proporcione perda de qualidade de vida para os servidores e o consequente aumento da evasão para outros órgãos.

Fonte: http://www.anafic.org.br/p6208.aspx?IdNoticia=11123&idme=17889


Mudança de Nomenclatura

Atualmente há 14 cargos de analista no Poder Executivo Federal. Muitos deles reivindicam a equiparação com os analistas do Ciclo de Gestão. A ANAFIC entende que a denominação de “auditor” é fundamental para a valorização da carreira e para garantir um patamar remuneratório compatível com a complexidade das nossas atribuições.

A CGU encaminhou para o Ministério do Planejamento uma Nota Técnica realizada com base em estudo elaborado pela ANAFIC realizado com a contribuição dos associados, e entregue ao Ministro e ao Secretário-Executivo, demonstrando a importância da mudança de nomenclatura e os riscos associados à nomenclatura de auditor.

As opções apresentadas pela CGU ao Planejamento foram: Auditor Federal de Controle Interno - nome democraticamente escolhido por votação entre os servidores, em eleição elaborada pela DGI, e Auditor de Finanças e Controle - opção alternativa que agregaria também os analistas da Secretaria do Tesouro. Ambas as opções têm por objetivo manter única a Carreira de Finanças e Controle.

Fonte: www.anafic.org.br/Default.aspx?IdPagina=6208&IdNoticia=9543&idme=17889
 

 

3 comentários:

  1. Será que existe algo mais moderno? será que com esses benefícios o trabalho é prejudicado? Vamos acordar.

    ResponderExcluir
  2. Situação difícil!!! Muitoooooooo Difícil!!!
    E a CGU bombando!!!

    ResponderExcluir